Page 183 - Comunicar na Republica

Basic HTML Version

183
porte (transmissão). As tipologias e valores da men-
sagem/mensageiro, tempo/distância, essas mudam
sistematicamente e sofrem uma evolução constan-
te. Adequam-se os modos de transporte e meios de
transmissão às tipologias das mensagens para vencer
a distância – eliminar o tempo. Novas técnicas/tec-
nologias ao serviço das pessoas!
Técnicas capazes de facilitar e melhorar acessos e su-
cessos, o acesso para todos e com todos, com novas
abrangências de integração, interação e inovação in-
ter-relacional: da indústria ao comércio, da educação
à cultura, da política à sustentabilidade, do identitário
ao multi(inter)cultural, do individual ao coletivo, do
pessoal ao social, do nacional ao internacional, da
singularidade à diversidade, do cidadão à cidadania
global...
Comunicar e telecomunicar, ontem como hoje, é ser-
mos capazes de contribuir para facilitar o analisar,
comparar e ref letir, para melhorar o fazer escolhas e/
ou proporcionar ajudas nas tomadas de consciência/
decisão ou na (re)avaliação das consequências, ou até
na recolha de (in)formação para fazer face ao desafio
permanente da mudança, ao constante (re)dimensio-
namento do atual e atuante – do status ao modus ou
do solucionar/evolucionar para revolucionar...
Comunicamos de maneiras distintas, com diferen-
tes meios e uma enorme diversidade de suportes em
convergência, com mobilidade, interatividade e facili-
dade funcional e operativa, do analógico ao digital de
forma global multimediatizada e interativa.
Ao comunicar (re)escreve-se a
história das comunicações a cada
momento
Percorrendo a (r)evolução histórica das comunica-
ções postais e telecomunicações, nas suas especifici-
dades, nas capacidades inventivas dos seus tecnólo-
gos, no aperfeiçoamento constante das suas técnicas
e domínio das tecnologias, constatamos que do ana-
lógico ao digital foi um longo e lento caminho comum
e/ou paralelo.
Reconhecemos que hoje as novas infotecnologias
interativas da comunicação multimediatizada são
convergentes e cada vez mais se unem os «mundos
comunicantes» dos correios e telecomunicações.
Verificamos que estamos mais perto, ficamos mais
próximos, que nos encontramos mais juntos, porque
«vemos o outro»... Experimentamos «que estamos
lá», vivenciamos a vertigem do tempo real – o ime-
diato e a «miragem dos acontecimentos» – em direto.
Com a prontidão das entregas e as velocidades de
processamento das mensagens sentimos que se su-
primiu o tempo e venceu a distância.
Deste modo aproximamos pessoas, e esse, conside-
ramos, é o desígnio primordial das comunicações –
correios e telecomunicações.
Os elementos sistémicos fundamentais das comuni-
cações mantêm-se – conteúdo (informação) e trans-
Do analógico ao digital, sempre se utiliza(ra)m novas ferramentas técnicas
e tecnológicas de informação e comunicação.
Históricas «navegações» que nos evoluíram de forma estruturante
ao longo do tempo: do astrolábio ou da bússola ao GPS (...)
dos «nós de corda» e fios de cobre, à fibra óptica e
wireless
...
Novos descobridores para novas descobertas – de um mundo global às
infotecnologias interativas das redes sociais dos universos
digitais globalizantes...
Caminhos por canais
comunicantes
Joel de Almeida
FPC