Página 76 - Códice nº5, ano 2008

76
António Rodrigues da Luz Correia
Um percurso singular, 1925-2008
Júlia Saldanha
|
Licenciada em História (UC). Arquivista (UC).
Biografia
Oriundo de uma classemédiado Portugal do século XX descapitalizado
e comcrises políticas constantes,enfrentouas dificuldades económicas
dagrandemaioriadapopulação,colmatadas por umtipode instituições
que os impérios coloniais tecem, as militares e para-militares.
LuzCorreianão fugiuà regraeentre 1937 e 1968adquirea sua formação,
frequentando durante dez anos o Instituto dos Pupilos do Exército,
e cumpre a sua vocação na Escola de Belas-Artes do Porto, concluin-
do o curso de Escultura.
O pedagogo. Ensinar brincando
«
A criança é sempre ummundo por conhecer.»
Luz Correia,
Garatujas
Num dos seus primeiros cruzamentos de vida, Luz Correia ao ingres-
sar na Escola Industrial da Póvoa doVarzim,revelou de imediato a sua
sensibilidade e espírito artístico inovador ao fundar em 1951 o Centro
Artístico Infantil, CAI, para aí observar o que as crianças entre os 10
e 14 anos pintavame«ensinar brincando».Mais tarde promove uma
exposição destes trabalhos na Póvoa do Varzim.
Como bolseiro do SNI, promove a exposição «O que é arte infantil»,
largamente noticiada na imprensa da época.
Ele próprio relata este período:
«
Em53-54,... obtive uma bolsa da Administração dasMinas do Pejão,
onde estagiei 6meses. Consegui que os mineiros dos 20 aos 60 anos
desenhassem e pintassem. Para além do documentário fotográfico,
teve lugar umagrande Exposiçãodo SNI «Arte de Crianças eAdultos»,
que obteve assinalável êxito, na comunicação social e no público.»
1
Aestaexposição largamente ilustradanomagazine
O Século Ilustrado
,
refere-se o filósofo e pedagogo Delfim Santos: «... documenta pro-
In memoriam
«
Uns têm uma personalidade mais espacial, outros uma personali-
dade mais temporal.
Estaria aqui a distinção entre heróis e artistas?»
Novalis
,
Fragmentos
É
comeste tipo de inquietações que iniciamos a tentativa de abor-
dagem à personalidade de Luz Correia, patente no seu percur-
so profissional, e os múltiplos e diversificados testemunhos que dei-
xou.
Detentor de uma carácter forte,muitas vezes polémico, Luz Correia
é simultaneamente tímido emodesto na sua afirmação artística,pro-
vavelmente fruto da sua dupla formação científica e artística.
Entre a psicologia, a escultura e amedalhística, todos estes mundos
formais foramutilizados, por vezes simultaneamente para preencher
o seu espírito de «fazedor», na acepção borgeana do termo.
Dir-se-ia que o Luz Correia que alguns de nós tivemos o privilégio de
conhecer na sua multiplicidade artística atravessa o universo dico-
tómico do século XX e as caóticas incertezas dos primeiros anos do
século XXI, tentando interpretar sob uma luz muito própria omundo
e o os seus contemporâneos, legando a todos nós os testemunhos
da suas inquietações.
Ferro, bronze, vidro, quais elementos da pedra filosofal, são os mate-
riais de eleição, na sua expressão artística, que commestria traba-
lha desde amedalha de dimensões reduzidas à arte urbana de gran-
de volumetria.
Poderemos afirmar sem sombra de dúvida que durante o seu percurso
de vida tentou aproximar-se comalgumêxito a
«
sabedoria
»
,
no sen-
tido alquímico do conceito.
escultura de Luz Correia, acervo da FPC.