Página 3 - Códice nº2, ano 2005

E
m 2004, rompemos com o modelo de revista institucional da
Códice, transformando uma revista de imagem num repositório
coleccionável de documentos e trabalhos de investigação.
Fizemo-lo por doismotivos:por ser nossa convicção que haviamercado
e leitores interessados numa revista de estudos e trabalhos sobre o
sector das Comunicações; e por ser nosso objectivo estimular o apa-
recimento de mais estudiosos e interessados naquele que é o objec-
to e a razão de ser da Fundação Portuguesa das Comunicações.
Um ano decorrido sobre o início desta nova fase da Códice, apraz-me
verificar que todos os nossos objectivos foramcumpridos.Mantivemos
os nossos leitores e encontrámos outros interessados, novos públicos
de todos os quadrantes e faixas etárias.Contribuímos paradespertar
novas curiosidades sobreo sector,criandoumespaçode trocade infor-
maçãoeporventura incentivandooaparecimentodenovos trabalhos.
Conseguimos, aomesmo tempo, não sacrificar a qualidade gráfica e
a atractibilidade da revista, que assim pode continuar a angariar
novos públicos eadivulgar,de formamais alargada,o vastopatrimónio
histórico, cultural e científico que nos foi legado.
A aposta está ganha.
Coma recente obtenção do Grande Prémio da Associação Portugue-
sa de Comunicação Empresarial, vimos reconhecida a excelência da
nossa opção e o mérito do desafio que assumimos. Compartilhamos
estemotivo de orgulho comos nossos leitores, a quemagradecemos
a fidelidade e o incentivo.
Prometemos continuar a trabalhar afincadamente para eles, ten-
tando aperfeiçoar ummodelo que, esperamos, corresponda às suas
expectativas.
Para os nossos leitores, votos de um Bom 2006.
editorial
Francisco Leiria Viegas
|
Presidente do Conselho de Administração da Fundação Portuguesa das Comunicações