Page 7 - Comunicar na Republica

Basic HTML Version

7
Enquadramento
Património Cultural das Comunicações – Memórias tangíveis de
imaterialidades e materialidades, imortalizadas pelos caminhos
comunicantes: dos carteiros às transmissões, da arte, ciência e tecnologia
dos correios e telecomunicações às infotecnologias digitais do projeto
«Comunicar na República».
Caminhos de partida à chegada...
Joel de Almeida
Nota introdutória:
Génese do projeto «Comunicar
na República»
O projeto «Comunicar na República» surgiu em se-
quência/consequência de reunião conjunta com o
presidente do Conselho de Administração da Funda-
ção Portuguesa das Comunicações (FPC), Sr. Eng. Al-
meida Mota, e a presidente da Direção do Grupo de
Amigos do Museu das Comunicações (GAMC), Sra.
Dra. Isabel Varão. Esta iniciativa insere-se no âmbito
das comemorações do Centenário da República Por-
tuguesa.
O projeto da Fundação Portuguesa das Comunica-
ções, instituído em 1997, remonta a 1990:
«A Fundação tem por fim promover o estudo, con-
servação e divulgação do património histórico, cien-
tífico e tecnológico no domínio das comunicações,
cabendo-lhe, ainda, realizar actividades de investiga-
ção, cooperação e de imagem, divulgando a evolução
histórica e as novas tecnologias do setor, bem como
o seu contributo para o desenvolvimento económico-
-social do país e da comunidade.
1
1. Artigo Terceiro (Fins). Um. Estatutos da Fundação Portu-
guesa das Comunicações (FPC).
O Grupo de Amigos do Museu das Comunicações foi
criado em 1987, pela Sra. Dra. Maria da Glória Firmi-
no, então diretora do Museu dos CTT, e pelas suas
conservadoras. Tem como propósito fundamental:
«favorecer o enriquecimento das coleções do Museu
das Comunicações, contribuir para o desenvolvimen-
to e difundir a história dos correios e telecomunica-
ções».
2
O trabalho de projeto cooperativo/colaborativo «Co-
municar na República» desenvolve-se pelas e nas
componentes investigativa, expositiva e de divulga-
ção educativo-patrimonial.
Enquadra-se no campo de intervenção-ação partici-
pativa, capaz de contribuir para promover o estudo
e a investigação do património histórico, no domínio
das comunicações: na arte, na ciência e tecnologia.
Visa a promoção, desenvolvimento e salvaguarda do
património cultural, material e imaterial, das comuni-
cações – correios e telecomunicações, enquanto con-
tributos fundamentais para o progresso da cultura
humanista, científico-tecnológica e técnico-criativa,
na preservação do futuro, pelo (re)conhecimento de
legados, para memória futura, tangíveis e/ou intangí-
veis, de intervenção/interação pedagógica e de com-
plementaridade educativa:
2. Artigo 4 dos Estatutos do Grupo de Amigos do Museu das
Comunicações (GAMC).
Ao lado: Símbolo dos CTT dos anos 30 (Estado Novo) presente num vitral do edifício do Museu dos CTT na Rua
D. Estefânia, n.º 175, Lisboa (arquivo iconográfico da FPC).
FPC