Página 58 - Códice nº2, ano 2005

58
>
African Direct Telegraph Company
>
Western Telegraph Company
>
Europe and Azores Telegraph Company
>
C
a
Italiana del Cavi Telegrafici Sottomarini
>
Societé Anonime Belge de Cables Télégraphiques
As companhias West African Telegraph Company, Eastern Telegraph
Company,Easternand SouthAfricanTelegraphCompany e Europe and
AzoresTelegraph Company pertenciamao grupo CWL (Cable andWire-
less), que explorava as comunicações dentro do perímetro CAMpara
as colónias portuguesas de África, para a Índia e para Macau (via
Hong-Kong). Estas ligações completavam-se via rádio usando esta-
ções portuguesas para que o sinal atingisse o seu destino no interior
das colónias.
Os preços das comunicações telegráficas das colónias com a metró-
E
ste trabalho apresenta a evolução do serviço telegráfico entre o
continente, as ilhas adjacentes e as colónias no período entre
1935
e 1941. Neste ano, a fixação da taxa telegráfica imperial foi fun-
damental para melhorar as comunicações entre todos os territórios
nacionais.
Os cabos submarinos em Portugal
na década de 30
Os cabos submarinos que amarravam na costa portuguesa destina-
vam-se a encaminhar o tráfego telegráfico nacional no triângulo
CAM (Continente-Açores-Madeira), entre as colónias e o continente
e para os outros continentes e a fazer trânsito para amplificação do
sinal que seguia depois para lugares distantes. Eram explorados por
diversas companhias estrangeiras. Os contratos datavam do fim do
século XIX e início do século XX,excepto o da Italcable,cujo serviço fora
inaugurado emDezembrode 1929,paraexplorar as ligações europeias,
em conjunto com a DAT e com a CPQ.
A situação em 1937 era a seguinte
1
:
[
mapa da página seguinte]
No perímetro CAMoperavamas seguintes companhias concessioná-
rias:
>
Cable andWireless L.
de
(
CWL – inglesa)
>
Italcable (ITAC – italiana)
>
Deutsch Atlantische Telegraphen Geselschaft (DAT – alemã)
>
Compagnie Française de Cables Télégraphiques (CPQ – francesa)
>
Commercial Cable Company (CCC – americana)
>
Western Union Telegraph Company (WUT – americana)
Nas colónias africanas amarravamcabos das seguintes companhias:
>
Eastern Telegraph Company
>
West African Telegraph Company
>
Eastern and South African Telegraph Company
Nas origens da rede telegráfica
imperial portuguesa
Teresa Abecasis
|
Licenciada em Engenharia Electrotécnica pelo IST, Colaboradora na Área de Investigação na UCP
Quadro 1
Montantes pagos por Portugal às companhias de cabo submarino pelo tráfego
nacional (por palavra, em cêntimos franco ouro)*
Ligação entre
Continente
Açores
Madeira
Angola
3,875
4,450
3,875
Cabo Verde
1,500
2,075
1,500
Guiné
2,275
2,850
2,275
S.Tomé
3,375
3,950
3,375
Moçambique
1,650
2,150
2,120
Índia
1,470
1,620
1,520
Macau
3,400
3,670
3,820
Timor
3,900
4,075
4,225
*
Ocustodacomunicaçãopagopelopúblicoera igualaestevalormaisumadicionalparapagamentoda ligação terminal.
Rede de cabos submarinos que tocam nos portos portugueses da costa ocidental de África, 1939, acervo iconográfico da FPC.