Espontaneidade e Rigor

Na obra de Luis Filipe de Abreu “a espontaneidade e o rigor são constantes, como o mostra a exposição de parte do seu acervo, que esteve patente na Fundação Portuguesa das Comunicações. Como é natural, é a sua longa colaboração com os Correios que domina esta mostra. Nela se pode verificar o rigor com que este artista aborda os problemas que lhe são postos pelas exigências estritas da comunicação visual no âmbito do grafismo, e pelas limitações próprias e inflexíveis das técnicas da produção de valores fiduciários e postais…” (J.P.Martins Barata)

  • 10 Outubro, 2001
  • 0:00 - 9:00